Dicas de Miami

miami em 2018
Miami em 2018 vai ter novidades600449Antonio Leuzzi

Miami em 2018 vai ter novidades

Miami em 2018 vai ferver. Pelo menos é o que deu a entender durante a WTM Londres 2017, a diretora de Relações Públicas de Miami, Suzie Sponder. Ela confirmou que a próxima fase do Brightline será iniciada no começo deu ano. Uma das novidades é que o trajeto entre a cidade e Orlando poderá ser feito em uma viagem de trem de cerca de três horas. Hoje a viagem dura pouco mais de 3h30.

Com um investimento total previsto de US$ 2,1 bilhões, sendo US$ 1 bilhão apenas na primeira fase (construção dos trens e linha até West Palm Beach), o novo modal terá vagões de cores vivas – vermelho, laranja, verde, azul e rosa – e locomotivas pretas e amarelas. A Brightline promete exterior e interior modernos – que lembram os dos Eurostar, que fazem a rota entre Londres e Paris.

Além disso, será disponibilizado wi-fi gratuito e tomadas para carregar os smartphones. Os assentos, por outro lado, terão várias configurações, inclusive para uma única pessoa, como também, para grupos de quatro. Os preços dos bilhetes ainda não foram estabelecidos.

Miami em 2018

Outra notícia é que junto à nova opção de mobilidade serão inaugurados dois complexos turísticos em Miami em 2018. As novidades serão o Time Out Market e The Miami Design District.

“A própria estação do Brightline já é um projeto animador por si só. Além do trem propriamente dito teremos no complexo uma praça de alimentação incrível”, afirmou Suzie. “O serviço completo até Orlando não será lançado até o final de 2018. Mas o serviço de Miami para Fort Lauderdale e West Palm Beach estará disponível antes disso”, completou. O trem viajará a velocidades de até 200 quilômetros por hora com 16 serviços tanto para o norte quanto para o sul diariamente.

Os complexos turísticos devem ser inaugurados em 2018 também. O Time Out Market será um conjunto de restaurantes, bares e experiências culturais; e o The Miami Design District será o lar de 125 grifes de roupa junto a várias instalações artísticas.

imóveis em miami
Imóveis em Miami: melhor investimento1000667Antonio Leuzzi

Imóveis em Miami: melhor investimento

Os brasileiros que investiram em imóveis em Miami há cinco anos se deram bem. De acordo com pesquisa da Investorise, startup americana que usa inteligência artificial para compilar dados do mercado imobiliário, os preços subiram, em média, 75% desde 2012. Mais do que isso. Com a desvalorização do real o ganho foi de cerca de 200% para brasileiros. No mesmo período, o Ibovespa subiu em torno de 30% e o CDI rendeu 80%.

Imóveis em Miami: ótimo negócio

Investir em imóveis Miami é muito interessante se você avaliar ainda os preços e os juros (muito mais baixos do que no Brasil).

Mas por onde começar quando o assunto é comprar imóveis em Miami. Abaixo segue um pequeno manual com dicas que podem auxiliar.

Manual para compra de imóveis em Miami

1. Quais são os documentos necessários para adquirir um imóvel nos Estados Unidos?

Passaporte com visto válido e comprovação de renda coerente com o valor do imóvel escolhido.

2. Como fazer a remessa de valores para os EUA?

A transferência de fundos para a compra do imóvel deverá ser feita dentro das regras do Banco Central do Brasil (BC). Será cobrado apenas 0.38% de IOF sobre o valor da remessa.

3. Como é o processo de compra à vista?

Após a escolha do imóvel, o comprador estrangeiro envia os recursos para os EUA. Depois, transfere-se esse valor para a conta“escrow”do cartório escolhido, que faz toda a transação, inclusive verificação legal do vendedor e do imóvel. O cartório prepara toda a documentação de transferência e, somente após a assinatura do vendedor, é efetuado o pagamento. Praticamente 100% dos negócios imobiliários nos EUA são realizados por meio das “Title Companies” (Companhias de Títulos), que são formadas por advogados licenciados para atuarem no mercado imobiliário, e que são os responsáveis pela legalidade da transação.

4. É possível financiar o imóvel?

Apesar das compras à vista possuírem condições mais atrativas, sim, é possível. O financiamento para estrangeiros, no momento, está disponível em algumas instituições financeiras e nas seguintes condições: 1) Entrada 30%-40%, em até 30 anos, com juros entre 3.5% e 6% ao ano, dependendo do pacote. 2) O investidor deverá ser aprovado pelo banco e as condições podem variar em função da instituição financeira e do imóvel.Importante: Nem todos os imóveis se qualificam para financiamento.

5. Como fazer para comprar um imóvel nos Estados Unidos usando ou não financiamento bancário?

Como estrangeiro, o processo de compra é praticamente simples. A burocracia acontece em todos os lugares, mas nos EUA ela é sistemática e com prazos rígidos. Não se faz negócios nos EUA sem a intermediação de um corretor, ao contrário do Brasil.

6. Qual a documentação necessária para a compra à vista?

– Cópia do Passaporte: páginas 1, 2 e a que está o visto;

– Prova do valor da compra através de cópia de extrato bancário ou demonstrativo de aplicação financeira.

7. Quais os documentos necessários para compra financiada?

– Cópia do Passaporte: páginas 1, 2, 3 e a do Visto;

– Conta bancária nos Estados Unidos;

– Carta do Contador;

– Cópia dos dois últimos anos do imposto de renda, PF e PJ, neste último caso se houver;

– Cópia dos três últimos extratos bancários;

– Prova dos valores, isto é, do valor da entrada e mais 6 meses correspondentes às prestações do financiamento em conta ou aplicação bancária nos EUA.

8. Como fazer para abrir uma conta nos Estados Unidos?

– Cópia do passaporte e Visto Americano;

– Indicação de um Corretor de Imóveis;

– Depósito em Dinheiro, segundo políticas do banco escolhido.

9. A declaração de Imposto de Renda Pessoa Física serve como documento para comprovação de renda?

Sim, a declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física é um documento aceito pelos bancos como comprovação de renda.

reveillon
Reveillon em Miami1024903Antonio Leuzzi

Reveillon em Miami

Se você quer festa e agito na sua noite de reveillon Miami é o lugar. Mas prepare o bolso. A maioria das festas em Miami acontece dentro de hotéis, restaurantes e baladas. E a entrada e bebidas costumam ter um valor bem salgado!

Festa de reveillon de brasileiros

Esta é uma das festas mais badaladas de reveillon em Miami! É, detalhe, é organizada e frequentada por brasileiros, em sua maioria. Ou seja, é uma festa brasileira em terras americanas. E por acaso tem melhor organizadores de festa do que os brasileiros?

A festa acontece na Watson Island, local privilegiado entre Miami Beach e Downtown. A principal diferença com relação a outros eventos é que essa tem tudo incluso e música até o fim da madrugada.

Festa em baladas

Várias baladas oferecem festas para o ano novo. Basement, Live Miami, Wall e Story são as mais disputadas. Gente bonita, muita bebida e música de primeira fazem parte das atrações dos eventos nesses locais.

Festa em hotéis

Vários hotéis de luxo organizam eventos para celebrar a ocasião. Uma das melhores opções para quem quer passar um Ano Novo bacana em South Beach sem ter que gastar uma fortuna é o Mondrian.

No Intercontinental há opções para todos os gostos. Você pode escolher por comemorar em um de seus restaurantes até no rooftop do hotel. Os ingressos não são baratos, mas é uma das melhores opções para quem quer estar próximo ao Bayfront Park sem estar no meio na multidão.

Outra opção interessante é o Fontainebleau.No ano passado, eles fizeram um réveillon com show do Justin Bieber. E a festa bombou!

E para quem quer pular ondas na praia, ela fica bem em frente à Ocean Drive, a avenida mais badalada de Miami, com show de fogos na altura da rua 8th Street à meia-noite.

 

Il Gabbiano
Il Gabbiano: para comer bem1024576Antonio Leuzzi

Il Gabbiano: para comer bem

Esqueça “ver e ser visto”. Esqueça badalação e paquera. Esqueça point da moda. O Il Gabbiano, dica da semana no blog, não é um lugar de gente jovem, música bombando. É um lugar para comer bem (muito bem), com uma vista maravilhosa de brinde. Ah, sim! O público lá é um pouco mais velho. E muito mais poderoso. Sim, esse é um restaurante para paladares refinados. E bolsos recheados!

Il Gabbiano: para comer bem

Antes de falar do restaurante em si vale falar da formalidade da casa. Nada de traje especial, mas esqueça a liberdade de estar numa cidade de praia. Deixe os chinelos e as bermudas no armário e dê uma boa caprichada no visual. Caso contrário vai conseguir entrar e ser atendido sim, mas não vai ficar tão confortável porque o homem da mesa ao lado vai estar de blazer com certeza e a mulher de vestido.

Agora falemos da casa em sim. Italiano tradicional, o Il Gabiano oferece gastronomia sofisticada. Pratos fartos, entradas diversas, ótima carta de vinhos. Os donos são os mesmos fundadores do famoso Il Mulino de NY (que também abriu em Miami), considerado um dos melhores restaurantes italianos do mundo.

Quando o assunto é o cardápio tudo é delicioso. Os pratos são caprichados. No dia da minha primeira visita aceitei a sugestão do Chef e escolhi ravióli de cogumelos com molho de champanhe trufado. Na segunda fui de fettuccine preto e branco com frutos do mar e molho de tomate. Na terceira vez pedi bruschetas de tomates frescos e Linguini ale Vongole!

E todas as vezes arremato a refeição com um Tiramisu. Afinal de contas seria um pecado não fazer isso num restaurante autêntico italiano! Resultado: quero voltar lá urgentemente para experimentar outras opções.

Além da comida maravilhosa, vale registrar que o Il Gabbiano fica na beira do canal, em Downtown. Graças a vista a casa se torna super agradável para almoçar ou jantar ao ar livre.

Natal
Natal em Miami: onde ir1024576Antonio Leuzzi

Natal em Miami: onde ir

Vai passar o Natal em Miami e não sabe o que fazer ou on de ir? Mais: não sabe quais são os costumes locais e tem medo de não celebrar a data? Relaxe! Aqui todo mundo se diverte na ocasião, mesmo se estiver sozinho! Eu explico: o Natal nos EUA não tem nada a ver com o do Brasil.

Natal em Miami

Nós costumamos comemorar o Natal na véspera, com uma ceia que dura até tarde, ou seja, na noite do dia 24 de dezembro. Nos Estados Unidos, é um pouco diferente. Ninguém fica acordado até tarde um dia antes, pelo contrário. As crianças querem ir cedo para cama, pois o costume é abrir os presentes na manhã do dia 25. Neste dia costuma ter um brunch, uma refeição que une o café da manhã e o almoço, muito comum no país. Por isso, no dia de Natal a maioria das lojas e serviços não abrem, e você precisa se planejar para não ficar sem programação.Além de fazer passeios pela cidade, que nessa época está impecavelmente decorada, você também pode fazer reservas para a ceia nos restaurantes que ficam abertos e oferecem um cardápio diferenciado.

Mas e a noite do dia 24? Nada demais acontece? Acontece sim! As comemorações de Natal em Miami, por exemplo, costumam rolar em restaurantes. O ideal é que as reservas sejam feitas o quanto antes, já que a procura pelos restaurantes é alta e o número de vagas é limitado por conta dos cardápios especiais.

De qualquer maneira, mesmo que longe da família e dos amigos mais próximos, passar o Natal numa cidade como Miami é uma experiência. Diferente de tudo que você já viu! E ainda é a chance que você tem de dar uma esticadinha na viagem e curtir as melhores baladas de reveillon. Porque aí sim a cidade pega fogo!

Hakkasan
Hakkasan: chinês imperdível1000668Antonio Leuzzi

Hakkasan: chinês imperdível

Hakkasan é RESTAURANTE ESTRELADO MICHELIN DESDE 2003

Não importa se os clientes são atraídos pelas lembranças esplêndidas de refeições anteriores. Ou se estão cuiosos sobre as delícias da próxima, os convidados do Hakkasan anseiam pelo menu inspirado do Chef Loo. A cozinha estrelada dele é cantonesa, moderna, esplêndida.

Chef inovador do Hakkasan

Com um olho na tradição e outro na inovação, o Chef Jian mistura criatividade e mente aberta. Graças a essa combinação ele cria um menu que surpreende e encanta. Antes de assumir a função de Cuisine no Hakkasan, Jian Heng Loo aprimorou suas habilidades culinárias. O estudo foi feito em toda a Ásia durante vinte anos. Nascido na Malásia, Jian trabalhou em restaurantes de alto prestígio, entre eles o Capella Singapore, um resort de luxo, e o G Hotel na Malásia.

Outro destaque da casa fica para o Sommelier chefe. A casa tem o prazer de contar com a expertise e percepção de Brian, que obteve a certificação Court of Master Sommelier.

Ele cresceu em uma aventureira família de tradição culinária que plantou as sementes para sua paixão por comida e vinhos finos. Antes de entrar para a equipe de bebidas do Fontainebleau, passou três anos como Sommelier do principal restaurante do Chef Michael Schwartz, ganhador do prêmio James Beard, o Michael’s Genuine Food & Drink no Miami Design District.

Outra atração do Hakkasan é o ambiente. Moderno, aconchegante, contemporâneo. A sala de jantar principal, por exemplo, recebe os clientes de uma maneira única, que indica algo especial. Para eventos privados ou especiais o restaurante tem ainda a sala Ling Ling separada. Nela o cliente pode pode receber 20, 40 ou 60 convidados com refeições suntuosas ou recepções grandiosas.

E se a ideia é ser ainda mais exclusivo a casa oferece ainda a experiência exclusiva de jantar à Mesa do Chef, que acomoda 20 convidados sentados.

cinco curiosidades
Cinco curiosidades do Natal americano1024768Antonio Leuzzi

Cinco curiosidades do Natal americano

Se você está nos EUA hoje já deve ter percebido algumas diferenças com relação a comemoração por aqui. Se não está existem cinco curiosidades do Natal americano que valem a pena saber. Especialmente se você estiver se mudando pra cá, caso da maioria dos leitores aqui do blog!

Cinco curiosidades do Natal nos EUA

1. A maioria absoluta dos americanos comemora a data no dia 25!

Sim, a véspera de Natal, tão importante pra nós, brasileiros, não tem nada de especial por aqui. Ceia de Natal no dia 24 então se você vir é milagre! Ah! E o papai noel passa de madrugada. O dia de abrir os presentes é dia 25 de manhã!

2. O peru quase não aparece

Aqui o peru é a estrela no jantar de Thanksgiving. No Natal ele realmente perde espaço. No lugar entram outras comidas, como o presunto ou pernil.

3. O panetone é um mero desconhecido dos americanos

Isso mesmo que você leu. As famílias americanas que são descendentes de italianos até conhecem,mas a maioria nunca nem provou essa delícia. O engraçado é que é fácil de encontrar, tem até a venda no Walgreens. Mas não tem saída entre os americanos. O sucesso aqui e aí se resume mesmo entre os brasileiros.

4.As casinhas de biscoito de gengibre estão por todos os lados

Faz parte comprar o kit para montar e decorar a sua gingerbread house. Faz parte da tradição e é uma atividade que as crianças amam!!

5.Árvores de Natal naturais ainda são bastante comuns

Nas casas americanas é comum ver dinheirinhos de verdade.Fazendas de árvores de Natal cultivam vários tipos de pinheiros e montam pontos de venda em cidades ou abrem as portas para que você mesmo vá lá cortar. Segundo grupos de presevação ambiental, a árvore natural é melhor pro meio ambiente do que as de plástico, que não são biodegradáveis. Além disso suportam os pequenos fazendeiros locais ao invés de importar as árvores plásticas da China.

presidente
Presidente tem residência em Miami1024768Antonio Leuzzi

Presidente tem residência em Miami

Um luxuoso clube de oito hectares à beira-mar costuma ser o destino do presidente em Miami. Trata-se de uma espécie de “residência de inverno” da gestão Trump. “É o mais perto do paraíso que eu posso chegar”, foi como a autoridade mesmo definiu.

Paraíso do presidente

 

Apesar de também ter piscina, campo de golfe e quadras de tênis, a residência oficial não é tão atraente para Trump quanto seu resort na Flórida. “Camp David é bastante rústica, é legal, um lugar que você vai gostar. Mas sabe por quanto tempo? Uns 30 minutos”, disse o republicano a um jornalista logo após vencer a eleição.

Já Mar-a-Lago tem lustres enormes, salões com decoração dourada, loja com produtos exclusivos. O spa é equipado, o clube na beira da praia tem todos os serviços e as 126 suítes são luxuosas. Outra comodidade é que o campo de golfe fica a dez minutos de carro do resort.

Não é a primeira vez que a história de Mar-a-Lago esbarra na da Casa Branca. Em 1973, a proprietária Marjorie Merriweather Post decidiu doar a propriedade —que já tinha esse nome por se estender do mar ao lago Worth—ao governo. A intenção era que se tornasse local de descanso para presidentes. Mas Jimmy Carter achou a manutenção cara e se desfez dela.

Em 1982, Trump fez uma oferta de US$ 15 milhões pela propriedade. O valor foi recusado. Três anos depois, pagaria US$ 5 milhões mais US$ 3 milhões em mobiliário.

Título salgado

Hoje, um título de sócio do clube custa US$ 200 mil. Ovalor, que era de US$ 100 mil desde 2012, duplicou após a eleição de Trump. A anuidade é de US$ 14 mil.

Além dos preços, a rotina dos sócios também mudou. No início de fevereiro, a socialite Vanessa Falk foi surpreendida com a presença do presidente em sua festa de casamento no resort. Há casos ainda como o de DeAgazio, que se sentiu como no Situation Room —salão da Casa Branca onde são discutidos assuntos de defesa e segurança nacional— durante o jantar.

Mas nem todos estão felizes. É agora alto o risco de uma reserva no restaurante do clube ser cancelada de última hora por decidirem fechar um espaço para um evento do presidente.

Um sócio reclamou ao jornal “Miami Herald” do aumento nas restrições dentro do clube e da proibição de fotografar enquanto o presidente Trump está no local. “Você consegue imaginar? É o seu clube e você não pode tirar fotos?”

sushi brasileiro
“Sushi brasileiro” nos EUA1024683Antonio Leuzzi

“Sushi brasileiro” nos EUA

Se você ama comida japonesa, mas gosta do nosso jeito, do “sushi brasileiro”, esse post é pra você. O restaurante ‘SUSHI 4 FUN’ tem feito a alegria de quem sente saudade do toque do nosso país na culinária japonesa.

Nessa casa os ingredientes são sempre frescos e a variedade é enorme. Todos os dias o cliente encontra mais de 60 tipos de sushis para escolher, entre quentes e frios. Sob o comando dos irmãos Eric e Thiago Lima, que tem mais de 10 anos de experiência no ramo o restaurante, a casa segue o conceito self service por peso.

“Esse modelo é muito raro por aqui. Não conhecemos nenhum de Sushi. Vale lembrar que é diferente do buffet all you can eat. O all you can eat o cliente paga um preço fixo e come à vontade. No nosso restaurante a pessoa paga somente pelo que vai comer. Não existe desperdício e a conta é bem mais barata”, explica Eric Lima.

O restaurante fica aberto de 11 da manhã às 10 da noite. Funciona de domingo a domingo. E como não tem garçons não há necessidade de pagar a gorjeta e nem tem tip incluído na conta.

“Sushi brasileiro”

Entre as diversas opções de sushis, estão combinações com salmão, cream cheese, peixe branco e atum. Mas os chefs inovam com sushi de morango e harumaki (rolo primavera) de doce-de-leite, que chega a derreter na boca. Ceviches variados também estão à disposição dos clientes.

O proprietário ressalta ainda que os produtos são frescos e os sushis são preparados à medida que vão sendo consumidos, o tempo todo. Caso o cliente queira um sushi específico e que não esteja disponível na bancada, basta solicitar. No período da noite e aos finais de semana, é possível solicitar temaki.

Nos próximos três anos, o ‘Sushi 4 Fun’ vai chegar a Miami, Sunrise, Doral e Aventura.

Fort Lauderdale se renova150150Antonio Leuzzi

Fort Lauderdale se renova

Para os americanos, Fort Lauderdale ainda é um local famoso como destino para os spring breakers. Mas a cidade, que fica a menos de uma hora de Miami, cresce. Se renova a cada ano. E, por isso, atrai, cada vez mais, um público que procura opções refinadas de diversão. Quem aprecia boa gastronomia. Quem quer contato com a natureza. E tudo sem a agitação, badalação e o trânsito caótico da vizinha famosa.

Fort Lauderdale é demais

Com 40km de litoral, é natural que uma de suas principais atrações seja o mar. São muitas opções, mas a praia mais popular da cidade é a Fort Lauderdale Beach. Parece exagero, mas a água por ali é azul e tranquila.

Não hesite em entrar no mar: a água é morna e é possível alugar equipamentos para mergulho e outras atividades nos estabelecimentos da orla. Ou contratar um passeio de barco. A Sea Experience oferece aulas de mergulho e passeios pelos canais da região. Um dos mais populares destaca as mansões ‘hollywoodianas’ da cidade.

Além disso é nessa região que estão instaladas as principais cadeias de hotéis e muitos estabelecimentos comerciais da cidade. O longo calçadão da praia de Fort Lauderdale é uma atração a parte. Extenso e bem conservado ele atrai esportistas.

Se, por um lado, o passeio percorre um cenário de águas azuis e tranquilas, por outro, shopping centers e lojas se espalham pela orla. Vale lembrar que a 15 minutos de Fort Lauderdale, em Sunrise, o shopping Sawgrass Mills, faz a alegria dos consumidores brasileiros. Trata-se do maior nos Estados Unidos.

A praia de Fort Lauderdale é um dos melhores lugares da cidade para atividades diurnas perto do mar, mas ela não se resume apenas a isso. As opções noturnas pela orla são muitas, principalmente nos bares dos hotéis, que se abrem para animadas happy hours.