Empreendedor se esbalda em Miami

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, a Flórida é a região dos Estados Unidos que conta com o maior número de brasileiros. Segundo estimativas do Itamaraty, aproximadamente 250 mil estão vivendo no estado americano. Este número faz com que o conhecido polo turístico e de compras também seja uma oportunidade e tanto para o empreendedor interessado em internacionalizar seus negócios.

Há anos tem muito empreendedor que aposta no sonho de levar suas empresas para fora do país. E quem escolheu Miami para isso se deu bem. Segundo dados do consulado americano em São Paulo, o investimento brasileiro nos Estados Unidos aumentou 89% nos últimos cinco anos – e a tendência é que os aportes continuem a crescer. Se você quer engrossar esses números, atenção para as dicas abaixo.

Dicas para o empreendedor

1 — Procure ajuda especializada

Assim como existem casos de brasileiros que fizeram sucesso em terras estadunidenses, existem casos de fracasso retumbante. Se você realmente quer empreender nos Estados Unidos, o primeiro passo é procurar programas especializados de apoio à imigração.

As legislações de cada estado variam muito: algum deles pode ser um polo de atração do seu futuro mercado ou, por outro lado, pode oferecer incentivos fiscais para que você seja pioneiro na região.

2 — Tenha a ideia de negócio

O primeiro cuidado que o futuro empreendedor deve ter é justamente identificar uma ideia de negócio e ter uma estratégia clara de como será sua entrada no mercado. Isso envolve entender claramente quais são suas vantagens competitivas, em relação aos negócios já estabelecidos nos Estados Unidos.

 

3 — Faça um plano de negócios convincente

É importante ter um plano de negócios estruturado antes de começar negociações e fazer as malas para os Estados Unidos. É preciso mostrar que você possui a capacidade, estrutural e financeira, de arcar com essa operação internacional.

Depois, vem o planejamento societário: um gestor será responsável apenas pela operação americana ou todos irão administrá-la? Como será a divisão das participações?

4 — Entenda as especificações de visto

No aspecto migratório, entra uma questão que costuma gerar dúvidas: dá para empreendedor com o mesmo visto que se usa para viajar para negócios ou para lazer?

Antes, é preciso saber que os vistos americanos se dividem por categorias. Os vistos mais importantes para empreendedores são os de categoria B, que servem para visitas de negócio e de lazer; e os de categoria L, para transferência de executivos com conhecimento especializado.

 

5 — Vá ao mercado!

Uma dica simples: depois de todo esse processo, que pode levar vários meses, é a hora do famoso “go to Market”.

Caso você ainda não tenha feito seu mínimo produto viável na etapa do plano de negócio, contate seu público-alvo e faça uma pesquisa prévia de aceitação do produto ou serviço.

Então, fale com parceiros comerciais e lance o MVP. Caso a aceitação seja novamente positiva, é hora de investir na implantação do empreendimento nos Estados Unidos (o que pode incluir aportes vultosos, como a construção de uma fábrica, por exemplo).

Comente esse post!