Estacionar um automóvel dentro de um apartamento na torre Porsche. Morar em sua própria ilha, conectada à terra através de uma ponte privada e com um porto esportivo exclusivo no Privé Island. E muito mais. Todas essas excentricidades são a cara do luxo de Miami!

Excentricidades histórica

A Flórida começou a construir uma reputação por estas excentricidades no final do século XIX e início do século XX. Na época desenvolvedores seduziam os milionários com propostas exóticas para atrair investimentos para o que era um pântano.

Hoje não é preciso muito esforço. Mas, na época, a cidade se definiu por seu afã de deslumbrar. As pessoas que queriam – e ainda querem – ostentar são as que mais se sentem atraídas.

Um exemplo disso é o filme “Scarface”, com Al Pacino. Um dos ícones da cultura pop que melhor interpretam a cidade, ao menos como ela era nos anos 1980, fala da ostentação e do uso de riqueza mal adquirida.

Mas Miami é mais do excentricidade. É também um porto seguro para investidores do exterior. Tanto é assim que um total de 54% dos compradores estrangeiros da cidade são da América Latina. 18% da Europa.  13% do Canadá. Os dados são da Associação Nacional de Bens Imóveis.

Os que dominaram as compras de apartamentos de luxo em Miami em 2016 foram os canadenses, os venezuelanos e os brasileiros, nessa ordem.

A indústria imobiliária local experimentou uma desaceleração em 2016 devido à campanha eleitoral americana, mas os especialistas preveem uma estabilização neste ano.

Voltando as loucuras que só Miami tem, vale registrar que já se tornou muito “plebeu” oferecer apenas saunas, restaurantes e salas de ginástica com grandes janelas para o mar. A moda entre os arranha-céus super luxuosos que proliferam nas costas de Miami são as maluquices. O ineditismo. Os serviços mais excêntricos, como ilhas privadas e spas para animais de estimação.