A Flórida registrou um crescimento econômico digno de nota. O setor de negócios do estado foi um dos que mais prosperou em 2017, segundo o governador Rick Scott. E as áreas metropolitanas de Orlando, Tampa e Miami são as que mais ajudaram nesse sentido. Mais do que isso. As três cidades são as que oferecem mais oferta de empregos na Flórida, segundo dados recentes do governo.

Flórida contra o desemprego

A taxa de crescimento da força de trabalho na Flórida superou quatro vezes a nacional. Foram criadas 127.400 novas vagas de emprego em outubro. A taxa de desemprego caiu para 3.6%. Essa é a menor taxa desde fevereiro de 2007. Desde dezembro de 2010, as empresas da Flórida criaram 1.448.300 novos empregos no setor privado. Agora o estado agora foca na redução de impostos e diminuição de regulamentos para atrair empresas.

De acordo com dados do governo, de todas as áreas metropolitanas da Flórida, a de Orlando foi a que mais criou novos empregos no estado em 2016, somando 37,4 mil novos empregos no setor privado. A taxa de desemprego em Orlando caiu para 3,2%, 1,3 pontos percentuais em relação ao ano passado. “Esses dados confirmam que Orlando continua a ser um ótimo lugar para começar ou ampliar um negócio”, disse Scott.

Em segundo lugar vem a área de Tampa, com 27 mil novos empregos no setor privado no ano passado. A taxa de desemprego de Tampa caiu para 3,3%, abaixo de 1,4 pontos percentuais de um ano atrás. Os setores de maior crescimento ao longo do ano em Tampa foram serviços profissionais e de negócios, com 6.500 novos empregos e construção com 5.400 novas vagas. A região permaneceu em primeiro lugar entre as áreas metropolitanas do estado em demanda de emprego em outubro com 44.781 aberturas.

Em terceiro lugar vem a área metropolitana de Miami, com a criação de 25.600 novos empregos no setor privado no último ano. A taxa de desemprego em Miami caiu para 4,6% em outubro, abaixo de 0,9% em relação ao ano anterior. Os setores que tiveram maior crescimento ao longo do ano em Miami foram o comércio, o transporte e os serviços públicos com 7.500 novos empregos e serviços de educação e saúde com 6.700 novos empregos.