Poucas vezes um complexo foi tão aguardado quanto o Park Grove, em Miami. Prova disso são fotografias publicadas recentemente. Elas registram o progresso das obras do empreendimento e saíram em diversas publicações. Se você não sabe do que estou falando é melhor se atualizar. Trata-se de um imóvel composto por três torres, projetado pelo OMA em Miami.

Park Grove

Localizadas próximas às torres “Grove at Grand Bay”, projetadas pelo BIG, o trio de edifícios do OMA soma 90 mil metros quadrados. Esse espaço será preenchido por uma área residencial de alto padrão com vistas para a Baía de Biscane.

Mais de cinco mil metros quadrados do projeto são dedicados a programas coletivos. Para quem não está familiarizado com o termo, trata-se das áreas comuns do complexo. No caso do Park Grove essa área será composta de salas de cinema, restaurante do chefe Michael Schwartz, um anfiteatro ao ar livre, salas para degustação de vinhos e uma piscina em uma das coberturas.

Localizado na região de Coconut Grove, o projeto residencial que ainda está em construção tem prédios têm formatos curvilíneos e cilíndricos. As formas são inspiradas nos recifes da região.

Além de melhorar a vista, essa estrutura permite uma variedade de tamanhos e layouts nos apartamentos, que terão ambientes integrados.

Unindo os prédios, um caminho dará acesso a amenidades como adega, academia e cinema. Jardins e piscinas serão instalados no topo desses espaços.

Nas imagens de divulgação, o projeto de interior do estúdio Meyer Davis, também de Nova York, inclui espaços modernos, repletos de luz natural, e com mobiliário neutro.

Curiosidade

O OMA parece considerar que as esculturas de Alexander Calder são perfeitas para seus projetos: o escritório usou a obra Crinkly with a Red Disc, de 1973, para o render do Museu de Arte Contemporânea Garage, em Moscou. O render dos edifícios residenciais Park Grove em Miami utiliza a escultura Flamingo, de 1973, que encontra-se na Federal Plaza de Chicago, enquanto o render do parque elevado 11th Street Bridge Park em Washington DC, de OMA e OLIN, mostra a mesma escultura.