Eles não confiam no Brasil. Cansaram da política, insegurança, falta de perspectiva. Estão exaustos da roubalheira, da violência, do trânsito. E fazem parte da nova onda imigratória que chega em Miami. Trata-se dos brasileiros ricos e desiludidos. Gente que triplicou a quantidade de dinheiro enviada do país para os Estados Unidos neste ano.

Ricos em Miami

O volume de recursos enviados por pessoas físicas do Brasil para pessoas físicas nos EUA cresceu 227% no primeiro semestre, segundo o BC. Uma parte desse movimento é explicado pelo novo movimento migratório de brasileiros ricos para os EUA. Nesse caso os negócios no Brasil sustentam a vida americana.

Para Leonardo Freitas, sócio da Hayman Woodward, consultoria especializada em imigração e fluxo de dinheiro, parte dos brasileiros que emigram não tem fonte de renda nos EUA e precisa se manter até conseguir investir em um negócio com receita em dólar.

Em longo artigo com a ilustração acima, o “Miami Herald” diz que “os compradores brasileiros voltaram”.

Mas o jornalista garante que agora é diferente da invasão de 2010. Na época “os brasileiros resgataram Miami da maior bolha imobiliária que este país já viu”. Fizeram parte da crise financeira iniciada em 2008. Eles procuravam então investir, estavam atrás de ofertas de imóveis.

Desta vez, “muitos estão deixando seu país permanentemente, cansados não só do clima econômico e político, mas da falta de segurança e de estabilidade”. Em suma: A maioria têm pouca esperança em seu país natal e buscam construir novas vidas na América.

Principalmente os casais com filhos. Imaginar o futuro dos pequenos numa terra sem lei, onde ricos fazem o que bem entendem não parece opção. A maioria deixa de lado família, bens materiais, amigos, vida confortável. E parte em busca do novo. Do desconhecido.

Na mala vem dinheiro sim, claro. Mas vem sonhos. Planos. Vontade de se estabelecer aqui pra sempre.