Posts Tagged :

casa em miami

Wyndham
Wyndham anuncia novo hotel em Miami750559Antonio Leuzzi

Wyndham anuncia novo hotel em Miami

O Wyndham Hotel Group, rede com mais de 8,3 mil hotéis, anunciou a assinatura de novo empreendimento hoteleiro. A novidade tem como endereço o bairro Brickell, de Miami. A propriedade, que possui 445 quartos e previsto para abrir no final de 2019. A novidade é que esse empreendimento tem marca dupla. Trata-se de uma combinação nunca antes feita pela empresa.

Wyndham Grand e Tryp

A rede acredita que esta combinação celebra o espírito do destino, já que une o serviço seleto do Wyndham Grand e o charme da TRYP da Wyndham. Ao combinar duas marcas distintas, o grupo busca maximizar a sua presença na cidade, oferecendo exclusividade.

O hotel de 41 andares oferecerá 445 quartos no total. E, detalhe, inclui quartos familiares da marca com espaço extra e beliches para crianças. Os hotéis compartilham de um hall de entrada e sala de espera. E mais: garagem de oito andares, deck de bilhar, academia e espaços de reuniões, incluindo biblioteca e espaço para eventos. A cobertura do hotel contará com restaurante e um bar, inspirados nas raízes mediterrâneas da marca TRYP.

Este novo empreendimento participará do programa de fidelidade, que oferece aos associados ganho de pontos, que podem ser trocadas em noites gratuitas no hotel.

Investimento nas Antilhas

O grupo hoteleiro também continua a reforçar a sua robusta presença nas Caraíbas, levando o luxo até à deslumbrante zona costeira de Nevis, um dos destinos mais exclusivos da região, com o primeiro resort Wyndham Grand desta ilha nas Antilhas. O hotel Wyndham Grand Nevis ficará situado à beira-mar, localizado no Northern Pointe Resort, um novo empreendimento imobiliário de luxo com 12 hectares que está a ser construído ao longo da Baía Long Haul, no município de Saint James.

bitcoin
Bitcoin conquista Miami devagar1024576Antonio Leuzzi

Bitcoin conquista Miami devagar

O setor imobiliário de Miami está gradualmente adotando o Bitcoin. Por aqui os corretores de imóveis percebem, aos poucos, os méritos de utilizar a rede Bitcoin. Especialmente quando se trata de transferência de valores em grande escala.

Bitcoin cresce

Durante muitos anos, a comunidade Bitcoin e especialistas no setor de criptomoedas têm debatido seu propósito. Questionam se deve operar mais como um estoque de valor. Ou como um sistema de caixa digital.

Atualmente, a rede se qualifica como um estoque de valor e um sistema de dinheiro digital. A integração da solução de maleabilidade reduziu significativamente o congestionamento Blockchain na rede. Diminuiu o tamanho do mempool – a área de espera para transações não confirmadas. E o tamanho médio do bloco Bitcoin.

Mais do que isso, menos de três por cento das transações de Bitcoin são habilitados para o Segwit. À medida que a proporção aumentar para mais de 50%, as transações Bitcoin se tornarão ainda mais baratas.

Como resultado, mais comerciantes, investidores e usuários começaram a considerar e adotar o Bitcoin. Dentro do setor imobiliário, a maioria das transações ou pagamentos estão na casa dos milhões. Mas, para processar transações de vários milhões de dólares, os bancos exigem taxas extremamente elevadas. Às vezes até milhares de dólares por transação.

Vários estudos e trabalhos de pesquisa revelaram que bancos australianos e norte-americanos cobram US$ 4.000 por uma transação de US$ 100.000. Se o pagamento for de cerca de alguns milhões de dólares, a taxa de transação aumentará proporcionalmente, potencialmente para US$ 10.000.

Em Bitcoin, tais taxas elevadas podem ser evitadas. Embora as taxas de transação dependam do tamanho da transação, é possível enviar uma transação de um milhão de dólares por menos de US$ 10 com uma carteira habilitada para SegWit. Mais importante ainda, se a rede estiver menos congestionada e o tamanho mempool for pequeno, é possível que os remetentes atribuam taxas ainda menores para processar o pagamento.

Para os corretores de imóveis, o uso da rede facilita significativamente o processo de facilitar pagamentos em grande escala. Não só as transferências bancárias de vários milhões de dólares custam milhares de dólares e levam semanas (algumas vezes meses) de tempo de processamento, eles também exigem longa documentação e processo ineficiente de identidade e verificação financeira.

 

mochila
Mochila a prova de bala é novidade355285Antonio Leuzzi

Mochila a prova de bala é novidade

Já imaginou uma mochila a prova de balas? Parece coisa de maluco, mas isso existe e está sendo oferecida por uma escola privada de Miami. A ideia surgiu depois de tantos ataques em escolas americanas. O intuito é melhorar a segurança dos alunos em caso de tiroteio.

Mochila ou escudo?

Comercializada pela Florida Christian School, o item de segurança pode ser encontrado no website da escola junto com uniformes e outros itens. A peça custa US $ 120, pesa menos de uma libra e deve ser colocada dentro da mochila do estudante. Segundo a escola, os professores são treinados para instruir os alunos a usarem suas mochilas como um escudo. A mochila auxilia na hora das crianças se protegerem em caso de tiroteio.

A placa foi projetada para proteger de balas como um .44 Magnum e um .357 SIG. No entanto, a proteção não suporta balas de armas maiores como rifle, por exemplo.

Vale registrar que a Florida Christian School não esteve envolvida em nenhum tipo de tiroteio. Mesmo assim funcionários garantem que a iniciativa é uma forma de prevenir qualquer incidente do tipo.

A empresa de design criadora do item também oferece a proteção em capas para tablets, pranchetas e vários tamanhos da placa.

Objetos à prova de balas ganham espaço

Em 2013, meses após o tiroteio em massa que deixou 20 crianças e seis adultos mortos na escola em Newtown, Connecticut, a universidade de Maryland decidiu investir em quadros brancos à prova de balas e comprou 200, citando o tiroteio em Newtown como o fator decisivo.

Os painéis brancos e as mochilas não são os únicos itens à prova de balas disponíveis na sequência de tiroteios em massa. Existe uma indústria inteira dedicada à fabricação de produtos à prova de balas que incluem notebooks, pastas de laptops, cobertores, móveis e até mesmo roupas íntimas.

Há também uma linha de moda high-end à prova de balas que oferece tudo, desde roupas formais até os impermeáveis ​ e casacos de couro. Vários líderes mundiais usam os produtos da marca.

miami em 2018
Miami em 2018 vai ter novidades600449Antonio Leuzzi

Miami em 2018 vai ter novidades

Miami em 2018 vai ferver. Pelo menos é o que deu a entender durante a WTM Londres 2017, a diretora de Relações Públicas de Miami, Suzie Sponder. Ela confirmou que a próxima fase do Brightline será iniciada no começo deu ano. Uma das novidades é que o trajeto entre a cidade e Orlando poderá ser feito em uma viagem de trem de cerca de três horas. Hoje a viagem dura pouco mais de 3h30.

Com um investimento total previsto de US$ 2,1 bilhões, sendo US$ 1 bilhão apenas na primeira fase (construção dos trens e linha até West Palm Beach), o novo modal terá vagões de cores vivas – vermelho, laranja, verde, azul e rosa – e locomotivas pretas e amarelas. A Brightline promete exterior e interior modernos – que lembram os dos Eurostar, que fazem a rota entre Londres e Paris.

Além disso, será disponibilizado wi-fi gratuito e tomadas para carregar os smartphones. Os assentos, por outro lado, terão várias configurações, inclusive para uma única pessoa, como também, para grupos de quatro. Os preços dos bilhetes ainda não foram estabelecidos.

Miami em 2018

Outra notícia é que junto à nova opção de mobilidade serão inaugurados dois complexos turísticos em Miami em 2018. As novidades serão o Time Out Market e The Miami Design District.

“A própria estação do Brightline já é um projeto animador por si só. Além do trem propriamente dito teremos no complexo uma praça de alimentação incrível”, afirmou Suzie. “O serviço completo até Orlando não será lançado até o final de 2018. Mas o serviço de Miami para Fort Lauderdale e West Palm Beach estará disponível antes disso”, completou. O trem viajará a velocidades de até 200 quilômetros por hora com 16 serviços tanto para o norte quanto para o sul diariamente.

Os complexos turísticos devem ser inaugurados em 2018 também. O Time Out Market será um conjunto de restaurantes, bares e experiências culturais; e o The Miami Design District será o lar de 125 grifes de roupa junto a várias instalações artísticas.

reveillon
Reveillon em Miami1024903Antonio Leuzzi

Reveillon em Miami

Se você quer festa e agito na sua noite de reveillon Miami é o lugar. Mas prepare o bolso. A maioria das festas em Miami acontece dentro de hotéis, restaurantes e baladas. E a entrada e bebidas costumam ter um valor bem salgado!

Festa de reveillon de brasileiros

Esta é uma das festas mais badaladas de reveillon em Miami! É, detalhe, é organizada e frequentada por brasileiros, em sua maioria. Ou seja, é uma festa brasileira em terras americanas. E por acaso tem melhor organizadores de festa do que os brasileiros?

A festa acontece na Watson Island, local privilegiado entre Miami Beach e Downtown. A principal diferença com relação a outros eventos é que essa tem tudo incluso e música até o fim da madrugada.

Festa em baladas

Várias baladas oferecem festas para o ano novo. Basement, Live Miami, Wall e Story são as mais disputadas. Gente bonita, muita bebida e música de primeira fazem parte das atrações dos eventos nesses locais.

Festa em hotéis

Vários hotéis de luxo organizam eventos para celebrar a ocasião. Uma das melhores opções para quem quer passar um Ano Novo bacana em South Beach sem ter que gastar uma fortuna é o Mondrian.

No Intercontinental há opções para todos os gostos. Você pode escolher por comemorar em um de seus restaurantes até no rooftop do hotel. Os ingressos não são baratos, mas é uma das melhores opções para quem quer estar próximo ao Bayfront Park sem estar no meio na multidão.

Outra opção interessante é o Fontainebleau.No ano passado, eles fizeram um réveillon com show do Justin Bieber. E a festa bombou!

E para quem quer pular ondas na praia, ela fica bem em frente à Ocean Drive, a avenida mais badalada de Miami, com show de fogos na altura da rua 8th Street à meia-noite.

 

Natal
Natal em Miami: onde ir1024576Antonio Leuzzi

Natal em Miami: onde ir

Vai passar o Natal em Miami e não sabe o que fazer ou on de ir? Mais: não sabe quais são os costumes locais e tem medo de não celebrar a data? Relaxe! Aqui todo mundo se diverte na ocasião, mesmo se estiver sozinho! Eu explico: o Natal nos EUA não tem nada a ver com o do Brasil.

Natal em Miami

Nós costumamos comemorar o Natal na véspera, com uma ceia que dura até tarde, ou seja, na noite do dia 24 de dezembro. Nos Estados Unidos, é um pouco diferente. Ninguém fica acordado até tarde um dia antes, pelo contrário. As crianças querem ir cedo para cama, pois o costume é abrir os presentes na manhã do dia 25. Neste dia costuma ter um brunch, uma refeição que une o café da manhã e o almoço, muito comum no país. Por isso, no dia de Natal a maioria das lojas e serviços não abrem, e você precisa se planejar para não ficar sem programação.Além de fazer passeios pela cidade, que nessa época está impecavelmente decorada, você também pode fazer reservas para a ceia nos restaurantes que ficam abertos e oferecem um cardápio diferenciado.

Mas e a noite do dia 24? Nada demais acontece? Acontece sim! As comemorações de Natal em Miami, por exemplo, costumam rolar em restaurantes. O ideal é que as reservas sejam feitas o quanto antes, já que a procura pelos restaurantes é alta e o número de vagas é limitado por conta dos cardápios especiais.

De qualquer maneira, mesmo que longe da família e dos amigos mais próximos, passar o Natal numa cidade como Miami é uma experiência. Diferente de tudo que você já viu! E ainda é a chance que você tem de dar uma esticadinha na viagem e curtir as melhores baladas de reveillon. Porque aí sim a cidade pega fogo!

sala vip
Sala Vip em Miami terá + 4000 m21024768Antonio Leuzzi

Sala Vip em Miami terá + 4000 m2

Se você viaja bastante sabe a diferença que faz esperar pelo vôo numa sala vip equipada. O conforto e a sofisticação costumam ser o primeiro passo para uma viagem tranquila. Pois a American Express acaba de anunciar uma super reforma no Centurion Lounge do aeroporto internacional de Miami.

Reforma na sala vip

A sala vip exclusiva para titulares dos cartões American Express Platinum e Centurion vai ficar fechada nos próximos 12 meses. Mas é por um bom motivo. A expansão do espaço atual vai ser surpreendente.

Segundo o site Miami New Times, o projeto foi aprovado em outubro. Ele inclui um incremento de mais quatro mil metros quadrados no local. Entre as comodidades previstas são um bar de vinhos. Salas privadas para telefonemas também foram anunciadas. Além disso um salão e mais opções de comidas e bebidas fazem parte das novidades.

O American Express Centurion Lounge de Miami foi aberto em 2015. A sala vip fica no quarto andar do Concourse D do aeroporto. Outras comodidades no local incluem tratamentos de spa, áreas de trabalho semi-privadas, salas de conferências, uma mesa para usar computador e TVs de tela grande.

Ao todo, a American Express possui oito Centurion Lounge nos EUA, sendo, além de Miami, em Nova York, Las Vegas, São Francisco, Seattle, Houston, Dallas e FIladélfia. Internacionalmente, por enquanto apenas o aeroporto de Hong Kong conta com o salão vip da empresa de cartões de crédito, também aberto em outubro.

Lembrando a entrada é gratuita para clientes da American Express das categorias Business, Corporate Platinum Card e Centurion, familiares diretos ou até dois acompanhantes.

Clientes de outros cartões da American Express devem adquirir passes de um dia no The Centurion Lounge por US$ 50, sujeitos à disponibilidade e capacidade.

Vale registrar que hoje essa sala vip fica aberta das 5:00 às 22:00 pm. No local são oferecidas bebidas e cozinha de nível internacional, spa, estações de trabalho, acesso Wi-Fi, área infantil.

presidente
Presidente tem residência em Miami1024768Antonio Leuzzi

Presidente tem residência em Miami

Um luxuoso clube de oito hectares à beira-mar costuma ser o destino do presidente em Miami. Trata-se de uma espécie de “residência de inverno” da gestão Trump. “É o mais perto do paraíso que eu posso chegar”, foi como a autoridade mesmo definiu.

Paraíso do presidente

 

Apesar de também ter piscina, campo de golfe e quadras de tênis, a residência oficial não é tão atraente para Trump quanto seu resort na Flórida. “Camp David é bastante rústica, é legal, um lugar que você vai gostar. Mas sabe por quanto tempo? Uns 30 minutos”, disse o republicano a um jornalista logo após vencer a eleição.

Já Mar-a-Lago tem lustres enormes, salões com decoração dourada, loja com produtos exclusivos. O spa é equipado, o clube na beira da praia tem todos os serviços e as 126 suítes são luxuosas. Outra comodidade é que o campo de golfe fica a dez minutos de carro do resort.

Não é a primeira vez que a história de Mar-a-Lago esbarra na da Casa Branca. Em 1973, a proprietária Marjorie Merriweather Post decidiu doar a propriedade —que já tinha esse nome por se estender do mar ao lago Worth—ao governo. A intenção era que se tornasse local de descanso para presidentes. Mas Jimmy Carter achou a manutenção cara e se desfez dela.

Em 1982, Trump fez uma oferta de US$ 15 milhões pela propriedade. O valor foi recusado. Três anos depois, pagaria US$ 5 milhões mais US$ 3 milhões em mobiliário.

Título salgado

Hoje, um título de sócio do clube custa US$ 200 mil. Ovalor, que era de US$ 100 mil desde 2012, duplicou após a eleição de Trump. A anuidade é de US$ 14 mil.

Além dos preços, a rotina dos sócios também mudou. No início de fevereiro, a socialite Vanessa Falk foi surpreendida com a presença do presidente em sua festa de casamento no resort. Há casos ainda como o de DeAgazio, que se sentiu como no Situation Room —salão da Casa Branca onde são discutidos assuntos de defesa e segurança nacional— durante o jantar.

Mas nem todos estão felizes. É agora alto o risco de uma reserva no restaurante do clube ser cancelada de última hora por decidirem fechar um espaço para um evento do presidente.

Um sócio reclamou ao jornal “Miami Herald” do aumento nas restrições dentro do clube e da proibição de fotografar enquanto o presidente Trump está no local. “Você consegue imaginar? É o seu clube e você não pode tirar fotos?”

Visto EB-5
Visto EB-5: para investidores1000670Antonio Leuzzi

Visto EB-5: para investidores

Visto EB-5

Conhecido como ‘o visto de um milhão de dólares’. OEB-5 é destinado a investidores que querem aportar ao menos US$ 1 milhão de capital nos Estados Unidos. A ideia é que os empreendimentos possam gerar empregos no país. Não é preciso abrir uma empresa própria. O dinheiro pode ser investido em uma companhia já existente.

Se aprovado, o requerente recebe um green card provisório de dois anos. Esse documento pode ser substituído, depois desse período, por um green card definitivo. O prazo para conseguir esse visto é mais longo. É necessário esperar de 16 meses até a emissão do green card provisório, em média.

Atualmente, além da possibilidade de investir US$ 1 milhão em um negócio no país, que podem ser alocados ao longo de dois anos, há outra opção para quem busca o visto EB-5.

São os centros EB-5 — regiões de alto índice de desemprego ou áreas rurais com menos de 20 mil habitantes. Nesses locais, onde o governo norte-americano busca incentivar a criação de empregos, o valor mínimo do investimento cai para US$ 500 mil .

O investidor não precisa trabalhar diretamente no investimento, apenas fazer um aporte de capital. Contudo, o projeto deve criar ou evitar a perda de pelo menos 10 empregos.

Quantos vistos EB-5 são emitidos a cada ano?

A Imigração dos Estados Unidos e o Serviços de Cidadania reservam 10.000 vistos para os investidores EB-5 a cada ano fiscal. Este contingente de 10.000 vistos nunca foi atingido.

Houve um aumento drástico no número de participantes do programa EB-5 em 2011, com mais de 3.000 investidores que aplicaram através do programa. Cerca de 3.500 vistos EB-5 foram emitidos no ano fiscal de 2011, o que marcou um aumento de 80% desde 2010.

Este crescimento pode ser atribuído ao aumento da confiança no programa, devido à transparência do USCIS dentro do programa, e também a eficiência no processo de registro, um aumento de novos Centros Regionais estabelecidos nos Estados Unidos.

visto-E2
Visto E-2: requisitos640427Antonio Leuzzi

Visto E-2: requisitos

Visto E-2

O visto E-2 é concedido a cidadãos de países que têm tratados de comércio e navegação com os Estados Unidos. O Brasil não está na lista, mas brasileiros com dupla cidadania podem fazer o requerimento. Detalhe: desde que o país da segunda cidadania tenha esse acordo com os EUA. É o caso de Argentina, Bolívia, Chile, Itália, Espanha, Japão, Alemanha, França.

Nesse caso, não é preciso ter uma empresa em outro país. Você pode simplesmente abrir um negócio nos Estados Unidos. O requerente desse visto precisa ter pelo menos 50% de participação na empresa. Não é necessário contratar americanos. Para fazer o requerimento, é preciso que o investidor trabalhe diretamente no negócio.

Também não há um valor mínimo de investimento definido em lei para conseguir o visto, mas investimentos acima de US$ 70 mil têm maior probabilidade de serem aprovados. A primeira concessão do visto é de dois anos, e ele pode ser renovado por mais dois anos, indefinidamente.

Como posso comprovar a fonte do meu rendimento para o visto E-2?

É necessário demonstrar com clareza a fonte do seu capital de investimento, comprovando que não foram obtidos de forma ilícita. Vários tipos de documentos podem ser submetidos, incluindo:

  • Declaração de Imposto de Renda
  • Licenças de Negócios
  • Comprovantes bancários
  • Contas
  • Contratos de venda de imóveis
  • Contratos com fornecedores
  • Contrato de aluguel ou comprovante de posse de ponto comercial

Quais os direitos de um portador do visto E-2?

  • Trabalhar legalmente na empresa em que está investindo nos Estados Unidos.
  • Viajar livremente internacionalmente. Não há quaisquer restrições para viagens, e nem tempo limite para passear fora dos Estados Unidos.
  • Permanecer no país por tempo prolongado, podendo aplicar ilimitadamente para extensões de até 5 anos, contanto que mantenha as qualificações do visto.
  • Trazer dependentes, como metros da família. Estes podem obter autorização de trabalho também.
  • O portador do E-2 também pode estudar, se assim desejar. No entanto, não pode se matricular como aluno integral em uma faculdade. É permitido apenas fazer alguns cursos, que não interfiram com o propósito primário do visto.

Quais as limitações do visto E-2?

  • Só estão disponíveis para cidadãos de países no Tratado de Comércio com os Estados Unidos. Lembrando que se você possui dupla cidadania de algum país que está na lista, como Itália, se qualifica para o E-2 como cidadão italiano, por exemplo.
  • Você só poderá trabalhar para a empresa em que investiu.
  • Os vistos E-2 têm uma duração inicial de até 5 anos. Ao fim do tempo que receber para permanecer nos Estados Unidos com o E-2, você terá que aplicar para extensões se desejar permanecer no país.
  • O visto não dá direto à solicitação do Green Card.