Se você costuma ainda se surpreende com a qualidade excelente dos vinhos brasileiros imagine os americanos! A falta de tradição do nosso país quando o assunto é a bebida é conhecida. Mas tem empresas querendo mudar o rumo dessa história!!

Vinhos brasileiros, sim srs!

As vinícolas Casa Perini, Casa Valduga, Cave Geishe e Miolo Wine Group estão entre elas. Tem ainda a Mioranza, Pizzato Vinhas e Vinhos e Salton, todas do Sul do Brasil. Juntas elas desembarcam na terra do Tio Sam no início do ano. Vieram participar de cinco eventos voltados tanto para o consumidor final como para o trade, imprensa e críticos.

A comercialização de vinhos importados nos Estados Unidos aumentou 13% nos últimos 10 anos. Em 2015, dados mais recentes da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), o país ostentou a liderança no consumo mundial. Foram 31 milhões de hectolitros. Esses dados justificam a busca dos vinicultores brasileiros por uma fatia desse mercado. No ano passado, os americanos aumentaram em 34,6% o valor das aquisições de vinhos do Brasil, totalizando $830,7 mil e 280,6 mil litros exportados.

Não e de hoje que os Estados Unidos se consolidaram como o segundo principal destino das exportações brasileiras de vinhos. Devida à importância desse mercado, as ações no país devem ser intensificadas nos próximos anos. E uma das apostas dos produtores brasileiros será o espumante.

Somado ao fato de o Brasil deter reconhecimento internacional e uma excelente relação de custo x benefício no produto, a taxa de crescimento do consumo dos borbulhantes entre os americanos é duas vezes maior que a dos demais vinhos.

No ano passado, apesar de representar 17,3% do valor total das exportações dos rótulos nacionais, os espumantes tiveram um incremento de 54,3% ante o ano anterior. Bertolini explica que o potencial de crescimento e os resultados obtidos estimularam, por exemplo, a Vinícola Salton a instalar um escritório comercial no estado de Maryland.